Vícios

Já ouviu alguém dizer que não consegue ficar um dia sequer sem redes sociais, refrigerante ou televisão? Ficar longe do celular durante um encontro familiar ou entre amigos, então, nem pensar! Pois é. Talvez, você mesmo seja esta pessoa, pois estes estão entre os diversos vícios que acometem sutilmente nossa geração. Se não fosse assim, hoje em dia não existiriam, por exemplo, programas voltados ao tratamento de vício em redes sociais, que é tão forte quanto a dependência química (ou ainda mais!), segundo especialistas.

Com o significado de falha ou defeito, um vício é caracterizado por um hábito repetitivo que traz prejuízos à pessoa que lida com a situação, uma vez que causa dependência física ou psicológica. Logo, não existe “vício bom”, pois perdemos o domínio de nossas vontades em busca de saciar o que consideramos necessário para nosso bem-estar – e quanto à falta de autocontrole, a Palavra nos adverte:

Quem não sabe se controlar é tão sem defesa como uma cidade sem muralhas. (Provérbios 25.28)

Ou seja, se não temos controle sobre nós mesmos, somos totalmente vulneráveis a sérios problemas (inclusive, de saúde) e considerados insensatos (Pv. 12.16).

Açúcar, álcool, cafeína, celular (nomofobia), games, mídias sociais, pornografia, séries, tabaco e até mesmo compulsões por tirar selfies (selfiti) ou fazer compras são alguns poucos exemplos do que pode nos escravizar, se não estivermos atentos. Por isso, venho te fazer um convite à reflexão: observe se algo tem prendido sua atenção ou tomado excessivamente seu tempo, pois isto também pode prender você.

Alguém vai dizer: ‘Eu posso fazer tudo o que quero.’ Pode, sim, mas nem tudo é bom para você. Eu poderia dizer: ‘Posso fazer qualquer coisa.’ Mas não vou deixar que nada me escravize. (1Coríntios 6.12)

Conforme sua definição, qualquer vício traz consigo prejuízos físicos e psicológicos, mesmo que a longo prazo. Estes danos também podem se estender aos que estão ao redor, já que nossas manias e suas consequências influenciam nos relacionamentos e no ambiente em que vivemos. E ainda pior: maus hábitos enraizados podem atrapalhar até mesmo nossa vida com Deus, pois invertemos nossas prioridades.

Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus. Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Romanos 12.1-2)

Se você consegue identificar hábitos que precisam ser abandonados ou equilibrados em sua vida, seja honesto com você mesmo e com Deus, que conhece seu coração e suas intenções. Busque ajuda de seu pastor e/ou profissional, se necessário. E apegue-se a Deus, que é incomparavelmente melhor do que tudo e pode preencher o vazio que há em nós. Ele pode te libertar para uma vida abundante e verdadeiramente feliz!

Que Deus te abençoe muito! 🙂

Mari

Comente!

Por |2018-10-05T09:25:58+00:00sexta-feira, 5 de outubro de 2018|Vida Cristã, vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

Estrangeira voltando para o lar. Jornalista apaixonada pela profissão e por todas as formas de comunicação, sobretudo, a escrita. Ama simplicidade, música e o livro de Eclesiastes.

SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL