Vestidas para matar

Há um problema muito sério que afeta todas as classes sociais, faixas etárias, épocas e grupos e que é muito pouco falado, se comparado ao desastre causado. Dificilmente, qualquer de nós conseguirá passar um dia inteiro sem, de alguma maneira, ser abordado por ela. Às vezes ela aparece com violência, às vezes se mostra mais sutil. Foi a causa de reinos caírem e é candidata a uma das vagas de piores inimigos da Igreja. Estamos falando da sensualidade.

Sempre os vídeos de maior popularidade e os textos mais lidos das páginas cristãs nas redes sociais são os que tratam de sexo, pornografia e afins. Os que cedem aos seus impulsos são os que mais estão em voga, na mira dos juízes, e, de fato, merecem estar, pois é consequência de seu pecado. Mas será que não devemos também analisar por outra perspectiva? O que falar daqueles que fazem pecar?

Mulheres com calças jeans apertadas, legging, vestidos curtos e colados aos corpos, decotes demasiadamente cavados, e homens com o peito de fora, camisas que mais parecem uma pintura em seu torso, e cuecas Calvin Klein à mostra. Essas descrições parecem se referir a pessoas em baladas, mas, não raras vezes, retratam o culto de domingo.

Além de vaidade, essas cenas descritas acima são muito claras na demonstração de falta de amor ao próximo. De que maneira? Ora, Paulo afirma que se o comer carne, que é um direito seu, faz o seu irmão tropeçar, ele prefere não comer (1 Coríntios 8.13). Ou seja, entre provocar o pecado em seu irmão e abrir mão de um “direito” que você tem, sofra a “injustiça” (1 Coríntios 6.7)! Muitos evocam o jargão “mas eu não me visto para mostrar pros outros, me visto pra me sentir bem…” Jovem, se o seu “sentir bem” está condicionado a se vestir de maneira indecente, temos um sério problema. É claro que Cristo condena o ato pecaminoso daquele que deseja indevidamente:

“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Não adulterarás’. Mas eu lhes digo: qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. Se o seu olho direito o fizer pecar, arranque-o e lance-o fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ser todo ele lançado no inferno. E se a sua mão direita o fizer pecar, corte-a e lance-a fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ir todo ele para o inferno”.
Mateus 5:27-30

Mas, da mesma forma, condena também o ato de conduzir ao desejo:

Mas se alguém fizer tropeçar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar.
Mateus 18:6

Ninguém é tão ingênuo a ponto de não saber o que a sua forma provocante de se vestir provocará nas pessoas. Mulher, os homens vão olhar pra você, vão desejar você, vão imaginar você (muitas vezes nem precisam, porque você já mostra a todos como você é) e coisas com você. Homem, as mulheres nutrirão sentimentos pecaminosos por causa de você. Por causa de você! Você será uma pedra de tropeço! Será que isso não provoca o mínimo de desconforto?

Com a sedução das palavras o persuadiu, e o atraiu com o dulçor dos lábios. Imediatamente ele a seguiu como o boi levado ao matadouro, ou como o cervo que vai cair no laço até que uma flecha lhe atravesse o fígado, ou como o pássaro que salta para dentro do alçapão, sem saber que isso lhe custará a vida.
Provérbios 7:21-23

A Palavra de Deus compara o homem atraído pela mulher sensual como um boi que é levado ao matadouro. Ele caminha até ela crendo que se alegrará com muitos prazeres, mas isso lhe custará a vida. Embora o trecho fale dos lábios da mulher, o princípio está claro: o problema é a sedução, seja ela manifesta pelas palavras, seja pela roupa.

Charo, a esposa do Pr. Paul Washer, sabiamente diz que se a sua roupa é uma moldura para o seu rosto no qual a glória de Cristo deve brilhar, é uma boa roupa; mas se você se veste para emoldurar o seu corpo, é sensualidade e Deus odeia. Seja você mulher ou homem, a sua sensualidade é flecha no coração de quem te vê. Você se torna o fruto proibido. Não morda esta maçã.

Não estou aqui pregando a lei pela lei. O objetivo de obedecer a este princípio não é o próprio princípio, mas o Deus que o estabeleceu. Uma vez lavados por Cristo Jesus em seu sangue, vivemos em novidade de vida. Reconhecemos que Deus é a razão de tudo e para Sua glória devem ser feitas todas as coisas (Romanos 11.36; 1 Coríntios 10.31).

Rogo que você não faça vista grossa para o seu pecado. Se Deus o conduziu à leitura deste texto e você sabe, em seu íntimo, que esta é a sua realidade, reconheça-a diante de Deus e produza frutos dignos de arrependimento. Nele você encontra perdão. Vista-se para a glória de Deus, em amor de seus irmãos. Reflita na estupidez das suas atitudes em querer “valorizar” o seu corpo. Valorize Cristo, Cabeça do corpo.

Comente!

Por |2018-03-22T06:48:17+00:00quarta-feira, 21 de março de 2018|Sensualidade, Sexualidade, Vida Cristã, vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

Pior dos pecadores alcançado pelo Evangelho de Jesus Cristo. Sonho em ser pai e sou apaixonado pelo livro de Romanos. Membro da Igreja Presbiteriana de Vitória da Conquista - BA.

SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL