Sem graça

Pessoal, graça e paz. Analisando a doutrina da graça se pode reforçar um fato já bem conhecido de todos: o quanto o homem é insignificante quando colocado frente a frente com o Senhor.

A natureza pecaminosa que surgiu ainda nos tempos do Éden faz com que a humanidade esteja numa condição mais crítica do que pensa. Temos um Deus todo poderoso e santo – que, por tabela, não tolera o pecado – e somos criaturas já geradas em meio ao pecado. Como administrar duas realidades tão distintas?

Podemos dizer de cara um “graças a Deus pela graça”! Sem ela, nem poderíamos estar aqui hoje. A Palavra ensina que o salário do pecado é a morte (Romanos 6.23a) e já que somos pecadores de nascença, nada mais justo imaginar que deveríamos nem ter o direito de dar a primeira respiração. Sim, deveríamos. Mas o Senhor escolheu um caminho diferente.

Assim como Adão dependeu do sopro de Deus para passar a viver (Gênesis 2.7), somos totalmente dependentes da graça em Cristo para sobrevivermos.

Pois assim como, por uma só ofensa, veio juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Romanos 5.18

A graça nos dá capacidade de nos aproximarmos de Deus, coisa que o pecado não permitiria em hipótese nenhuma. Lembre-se que o Senhor é santo e abomina qualquer atitude que contrarie Seu caráter.

Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos o homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, O qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente Seu, zeloso de boas obras. Tito 2.11-14

Chama a atenção nessa carta de Paulo a importância que ele dá à participação do cristão na graça. Deve haver mudança de vida do crente (o que o apóstolo trata como renegar a impiedade e as paixões do mundo) para que seja possível colher os frutos desse presente de Deus.

Mas não se engane. A graça não pode ser barganhada; é presente de Deus.

Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Efésios 2.8-9

O caráter amoroso de Deus é demonstrado pelo fato dEle ter optado morrer pela parte da criação que decidiu se afastar através do pecado (em vez de destruí-la unilateralmente).

Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3.16

Com a graça o nome do Senhor é glorificado sobre a humanidade. De que forma você tem recebido esse presente maravilhoso?

Semana abençoada, em nome de Jesus. Abração!

Por | 2017-11-14T07:16:53+00:00 quinta-feira, 5 de outubro de 2017|Cristianismo, Estudos Bíblicos, Graça, Vida Cristã, vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL