Salmo 23

O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam. Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre. (Salmos 23)

Quer você tenha decorado este salmo ainda na infância, quer se lembre dele superficialmente, provavelmente, você já ouviu falar sobre esta palavra. Mas mais importante do que nos acostumarmos a ela, é necessário que a gente medite e viva sua verdade em nosso coração. Este salmo de Davi nos traz doces e poderosas declarações sobre o amor de Deus, que nos guia fiel e graciosamente.

Davi, que era pastor e foi levantado como rei, reconhecia que também era como uma das ovelhas que pastoreava: ele dependia totalmente dos cuidados de um Pastor, bem como precisava um Rei melhor do que ele. Quando a morte lhe parecia certa, em meio aos seus inimigos, ele sabia que tinha os amorosos cuidados de Deus sobre sua vida.

Assim como Davi, podemos descansar sob estes cuidados. Ah!, como precisamos descansar em Deus! Podemos desfrutar de águas tranquilas e ter nossas forças completamente renovadas, na certeza de que nossos passos são guiados no Caminho eterno, porque Ele cumpre suas promessas.

E porque Ele nos dirige, não precisamos temer mal algum – nem mesmo se estivermos em um vale tão escuro quanto a morte. “Sombra da morte” é uma expressão que traduz um termo hebraico único, que pode ser interpretado como “vale mais escuro”. Este vale foi mencionado por Jó como uma terra sombria, de negridão, de profunda escuridade e de caos, onde a própria luz é tenebrosa (Jó 10.21-22). Mas ainda que andemos por este lugar, não precisamos ter medo, porque sabemos quem nos conduz.

Bordão e cajado eram as ferramentas usadas por pastores. O bordão, para combater animais ferozes; o cajado, para conduzir o rebanho. E da mesma forma, temos um Pastor que nos protege de nossos inimigos e de caminhos incertos, que poderiam nos levar à beira do penhasco.

Além de nos pastorear com este zelo, por amor de seu nome, Deus prepara um banquete para nós, em que somos inundados com suas bênçãos. Bondade e misericórdia são como um desenho de sua graça sobre nós. E como é bom saber que somos tão amados…

Confie nos cuidados do Bom Pastor (Jo 10.11,14)! 🙂

Pastor

No processo, na espera
Tu estás fazendo melodias acima de mim
E Tua presença é a promessa
Porque sou um peregrino em uma jornada

Tu levantarás minha cabeça acima das grandes ondas
Tu és capaz de me impedir de tropeçar
E na minha fraqueza
Tu és a força que vem de dentro
Bom Pastor da minha alma
Pegue minha mão e guia-me

Fazes meus passos e meu caminho seguros
Então, andar sobre a água é apenas o começo
Minha fé crescerá, vou atento estar
Pois estás me chamando para coisas maiores

Oh, como eu te amo, como eu te amo
Nunca me abandonaste
Oh, como eu te amo, como eu te amo
Contigo é onde eu quero estar

 

Que Deus te abençoe muito!

Mari

Por | 2018-04-08T22:07:36+00:00 sexta-feira, 6 de Abril de 2018|Cristianismo, Devocional, Vida Cristã, vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

Estrangeira voltando para o lar. Jornalista apaixonada pela profissão e por todas as formas de comunicação, sobretudo, a escrita. Ama simplicidade, música e o livro de Eclesiastes.

SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL