Renúncia

O Reino dos céus é como um tesouro escondido num campo. Certo homem, tendo-o encontrado, escondeu-o de novo e, então, cheio de alegria, foi, vendeu tudo o que tinha e comprou aquele campo. O Reino dos céus também é como um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo o que tinha e a comprou. (Mateus 13.44-46)

Nos últimos dias, tenho meditado sobre as renúncias que temos de fazer para viver o Evangelho. Se você está há algum tempo nesta caminhada, provavelmente, já precisou abrir mão de algo que era obra de nossa carne e te afastava de um relacionamento sincero com Deus, “Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam” (Gl. 5.17).

Já ouviu dizer que a cada escolha que fazemos, temos também uma renúncia? Em nossa vida cristã, renunciamos o nosso eu, com seus vícios, pecados, rebeldia e a vontade própria de reinar em tudo. Às vezes, abandonar tais hábitos chega a nos entristecer, porque estávamos apegados à iniquidade, a bens materiais e a futilidades da vida. Mas quando compreendemos o que vivemos em Deus e o valor imensurável de sua Palavra, deixamos nossas bagagens alegremente, porque Ele se encaixa perfeitamente no vazio que existe dentro de nós e que, até então, tentávamos ocupar com nossas vaidades.

Mas o que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo. Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé. (Filipenses 3.7-9)

Sabe? Eu também já tive de renunciar algo que me custou, porque nada tinha a ver com os planos Dele para mim. E eu só entendi que precisava fazer isso quando comecei a me aprofundar em sua Palavra, que renovou minha mente e me mostrou que Ele tinha de ser minha prioridade. Inicialmente, confesso, fiquei triste, porque minha vontade (carne) era contrária ao Espírito. Porém, hoje, quando olho para esta decisão de anos atrás, vejo que os meus planos teriam destruído minha vida ministerial – e eu jamais estaria escrevendo este texto, por exemplo.

Ainda preciso renunciar a mim mesma a cada dia. E talvez, tenhamos de fazer isso em detalhes “simples”, como deixar as redes sociais um pouco de lado para poder orar mais. Ou trocar as maratonas de séries pelo estudo da Palavra. Não quero dizer que devemos excluir tudo o que chamamos “secular” de nossa vida, mas, sim, que precisamos organizar nossas prioridades.

Deus tem planos melhores e mais altos do que os nossos. Ele é nossa herança! Invista em seu relacionamento com Ele, que é eterno; todo o resto é passageiro, vai ficar por aqui. Quando precisar se afastar de algo que te afasta Dele, alegre-se! Ele é a pérola de grande valor, por quem vale a pena tudo deixar. À medida em que conhecê-lo mais, certamente, verá o quanto valeu a pena.

Que o Espírito Santo nos ajude!

Deus te abençoe muito! 🙂

 

Mari

Por | 2017-11-24T06:15:35+00:00 sexta-feira, 24 de novembro de 2017|Cristianismo, Vida Cristã, vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

Estrangeira voltando para o lar. Jornalista apaixonada pela profissão e por todas as formas de comunicação, sobretudo, a escrita. Ama simplicidade, música e o livro de Eclesiastes.

SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL