Eu, aluna da minha mãe

Hello, gente linda!

O título pode parecer esquisito, mas creio que o texto guarda um exemplo que pode esclarecer algumas coisas pra vocês e que fizeram o meu relacionamento com Deus ter ainda mais sentido. Vem comigo!

Quando eu era criança tive o privilégio de participar todos os domingos da Escola Bíblica Dominical. Em um determinado período eu fui aluna da minha mãe. Ser aluna dela não me garantia vantagens em relação aos demais alunos, pois ela exigia de mim o mesmo (ou até mais que) comportamento dos demais alunos. Estava sujeita às mesmas regras. Ser obediente a ela era minha obrigação assim como os demais.

Eu lembro de um dia que um aluno respondeu à repreensão dela e eu rapidamente dei bronca nele. Ergui a voz, crente de que tinha o direito de fazer isso, e disse: “hey! Respeite a minha mãe, piá! Você não pode responder a ela. É falta de educação”. O que aconteceu depois? Nós dois levamos bronca. Ele por ter respondido a repreensão e eu por querer ser autoridade na sala quando a única autoridade ali era ela. Eu era tão aluna quanto ele. Naquele momento, eu não podia reclamar o direito de filha, eu era aluna.

Mas quando a gente saía da sala, eu era filha. Tinha o cuidado, o amor, o incentivo dela e tantas outras coisas que os demais alunos não tinham acesso.

“Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu lhes tornei conhecido”. João 15:15

Quando falamos sobre os princípios de conduta que o Senhor estabeleceu pra nós, todos estamos sujeitos as mesmas regras. Justos e injustos. Salvos e ímpios. Porque mesmo aqueles que não creem em Deus estão sujeitos às regras que Ele estabeleceu, pois Ele continua regendo todas as coisas, mesmo que eles ignorem ou desconheçam esse fato.

Você certamente conhece pessoas que mesmo não conhecendo o Senhor são diligentes, éticas, excelentes em tudo que fazem e, por essa razão, bem sucedidas em todas as áreas. Pessoas que prosperam em áreas que muitos crentes tem patinado. Isso acontece simplesmente porque elas tem andado em obediência a princípios morais que elas acreditam que foram criados pela sociedade, mas que em verdade nunca existiriam se não fosse Cristo e aos quais só temos acesso porque estamos num país colonizado por cristãos. Enquanto isso, tem crente se atravessando, como eu fiz no exemplo da sala de aula, reclamando o direito de filho de Deus pra justificar seu comportamento errado.

Só que só obedecer, faz com que tenhamos acesso apenas as coisas disponíveis na “sala de aula”. Ou no exemplo do versículo citado, tenhamos acesso apenas àquilo que um servo por direito recebe. Ocorre que o Senhor nos criou pra ter relacionamento com Ele. Pra desfrutarmos não apenas do conhecimento Dele e de Sua palavra, mas também da pessoa dEle.

Eu posso falar com a minha mãe em qualquer hora. Ela está disponível pra me transmitir conhecimento, mas também pra demonstrar amor, em todas as horas. E ela… bom, ela é humana, limitada, falível, carne e osso como eu e ainda assim é capaz de fazer diferença com uma simples frase ou com um beijo na testa. Imagine Deus?!

Eu realmente amo a Palavra! Amo aprender tudo que Ele tem a me ensinar, mas quantas vezes falho em desfrutar do lugar de filha dEle. Ele está disponível todos os dias e em todo tempo. Ah… Ele quer me ensinar tanta coisa! Não apenas com o que já deixou escrito ou compartilhado com outros de seus filhos, mas com a Sua personalidade, com quem Ele é. Sim, a revelação de quem Ele é e de quem eu sou, está na palavra dEle (qualquer coisa que seja contrária a isso te fará pensar que pode usurpar desse lugar e lembre: nem Jesus se gabou disso e Ele é o unigênito), mas não basta que eu conheça essa informação, eu preciso crer nela para que ela seja viva e vida em minha vida.

O texto de hoje é pra te fazer um convite pra aprender com Ele e Dele todos os dias. Amando sua palavra, buscando ser profundo nela, obedecendo cada princípio que Ele estabeleceu, mas também pra que lembre que Ele é real. Não está morto. Você não precisa aprender apenas com as histórias que já estão no livro, mas que existem novas histórias que só serão vividas se você tiver relacionamento com Ele.

Você não precisa esperar o próximo domingo (ou a próxima reunião de sua célula ou da sua igreja) pra aprender Dele. Ele quer te ensinar no dia a dia.

Deus abençoe vocês!

#Atéterça

😉

 

 

 

 

Por | 2018-01-26T09:55:54+00:00 terça-feira, 30 de Janeiro de 2018|Devocional, Vida Cristã|0 Comentários

Sobre o Autor:

Crente das empolgadas, que pretende sim dominar o mundo (por que não?). Apaixonada por escrever, ler, dançar e cuidar de gente. Moro com meus pais, tenho uma irmã que é quase minha gêmea e uma sobrinha maravilhosa. Sou formada em Direito e atualmente faço teologia. E fico cada dia mais maravilhada com a forma que Deus consegue conciliar essas áreas. Luto para não ser legalista e tento matar minha carne todo dia. Convicta de que fomos #chamadosparaser a diferença no meio dessa geração e através disso fazer e corresponder a tudo quanto o Senhor planejar. Instagram: @caromenezes

SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL