Desigrejados

Graça e paz. Tudo em ordem? Não podemos negar que o advento da internet facilitou a vida de todos. Não fosse por ela, você não poderia ler esse texto. Porém, há quem se valha dessa liberdade que a rede proporciona e acaba patinando feio na fé. Um modismo recorrente é de cristãos abandonarem o hábito de frequentar uma reunião porque acha que o que faz para Deus é suficiente a ponto de substituir a ida à igreja.

Não vai ao culto porque: a) leu um livro cristão que já valeu como alimento espiritual da semana; b) assistiu a uma pregação no YouTube que era fogo puro e ainda está na unção; c) leu um post no NMM que já valeu mais que uma pregação; d) está muito cansado para sair de casa; e por aí vão as justificativas.

Daí nos damos de cara com esse versículo:

Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima. Hebreus 10.25

Desde o início da igreja percebemos que existiam pessoas pouco dispostas a separar um tempo da semana para reunirem-se em adoração a Deus. Chamaremos essa galera de desigrejados – deixando claro que o são não porque falta a eles uma igreja, mas porque decidiram por conta própria abandonar aquela na qual congregavam.

O escritor de Hebreus diz que os desigrejados têm o costume de deixar de congregar. Se é um costume, foi adquirido com o tempo, isto é, um hábito que acabou se enraizando na mentalidade do cristão. Independente do motivo que acredita justificar sua ausência na igreja, o crente precisa se dar conta que sua saúde espiritual está totalmente vulnerável com essa omissão.

“-Afinal de contas, qual é o problema de eu não ir à igreja?”, você pode estar se perguntando. Pois bem. Quando mantenho assiduidade aos cultos, dou oportunidade para coisas que são dificilmente colocadas em prática se eu desejo ser um cristão espiritualmente sadio.

Na igreja testemunhamos a edificação mútua (Romanos 15.2) – ou seja, diferentes irmãos (inclusive nós) se ajudando no crescimento em graça e conhecimento da pessoa de Cristo (2 Pedro 3.18).

Também podemos colocar em prática o bom uso dos dons espirituais (1 Coríntios 12.4-11). Se somos mordomos daquilo que o Espírito Santo concedeu a cada um de nós, o mais justo é que façamos valer da melhor maneira possível esses dons (1 Coríntios 4.1-2). Lembre-se da parábola dos talentos e do fim que o servo que escondeu a riqueza confiada teve (Mateus 25.14-30).

Além disso nos é permitido a socialização. Por sermos seres sociais, não podemos nos privar do contato com outras pessoas. A igreja é o corpo de Cristo (Romanos 12.5) e família de Deus (Efésios 2.19-22), não podendo andar por aí sem carregar o cuidado de servir Àquele que a resgatou (Romanos 7.4)

Não caia no erro de achar que é possível ser cristão sem ser membro de uma igreja. Se está com dificuldade em firmar-se, peça ajuda ao Senhor em oração e não perca a oportunidade de conversar com um pastor ou líder a respeito desse assunto. Sua saúde espiritual vale muita coisa para Deus.

Semana abençoada, em nome de Jesus. Abração!

Por | 2017-11-14T07:16:51+00:00 quinta-feira, 9 de novembro de 2017|Cristianismo, Estudos Bíblicos, Igreja, Motivação, Vida Cristã, vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL