SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL

Carolina Menezes 2017-08-20T11:53:22+00:00

colunista-nova-tercaNome: Carolina Amaral Menezes, mas podem me chamar de Caro ou Caro Menezes.
Idade: 29 anos
No blog é: Colunista
Dia de sua coluna: Terça
Vida Ministerial: Não morda a Maçã, integrante da equipe Alcançarte (Equipe de artes da Comunidade Alcance de Curitiba), integrante da equipe de Evangelismo e Vigília da igreja, líder de célula e responsável pelo grupo AJ Social (responsável por ações sociais no Alcance Jovem).
Sobre: Crente das empolgadas, que pretende sim dominar o mundo (por que não?). Apaixonada por escrever, ler, dançar e cuidar de gente.
Moro com meus pais, tenho uma irmã que é quase minha gêmea e uma sobrinha maravilhosa.
Sou formada em Direito e atualmente faço teologia. E fico cada dia mais maravilhada com a forma que Deus consegue conciliar essas áreas.
Luto para não ser legalista e tento matar minha carne todo dia. Convicta de que fomos #chamadosparaser a diferença no meio dessa geração e através disso fazer e corresponder a tudo quanto o Senhor planejar.
Instagram: @caromenezes

Testemunho pessoal:
Nasci num lar cristão, gerada por um milagre, cresci acostumada a ver Deus em todos os lugares (casa, família, igreja, escola). No entanto, considero que minha conversão se deu aos 12 anos, quando entendi que filho de crente pode até ser chamado de crentinho, mas não está salvo até que tenha um encontro real com Cristo.
Sempre me envolvi com esportes e artes. Não sei ficar parada. Sou do time dos hiperativos! O envolvimento com essas áreas na vida da igreja, sempre me trouxe experiências incríveis com Cristo e as primeiras noções de discipulado.
Minha família me ensinou desde criança que ser crente tem a ver com servir. Entonces, éramos aqueles que estavam de segunda a segunda na igreja e nas horas “vagas” fazíamos voluntariado em orfanatos e asilos.
Essa pegada de acolher e cuidar de gente é muito forte também. Já tivemos muita gente morando conosco e nos abençoando com aprendizados importantes.
Isso tudo, faz com que eu não consiga ser igreja sem estar envolvida nas atividades internas, mas também com esse olhar voltado para fora. Mas, fez de mim ativista por vezes, e daquelas que não sabia que SER filha de Deus também estava no pacote. Essa descoberta foi recente e tem gerado frutos importantes não apenas na minha vida, mas de todos que convivem comigo.
Já quis ser juíza rhyca para sustentar toda a minha família, mas sempre tentei imaginar um jeito de incluir o chamado pastoral no cronograma. Foi então que em 2014, Deus começou a me fazer entender que o mundo não dependia de mim e que eu não precisava ser A salvadora, pois o salvador de fato já veio e que se eu quisesse MESMO fazer a vontade dEle precisaria estar disposta a viver algo totalmente diferente do que eu havia planejado.
Desde então, Ele LITERALMENTE virou minha vida do avesso, me expulsou da minha zona de conforto, mas me levou a viver coisas que eu sempre sonhei, mas nunca soube pedir. Outras que sempre quis tratar, mas nunca quis expor.
E foi nessas andanças que vim parar aqui!

Leia os posts da Caro aqui