SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL

O Sujeito, o Distraído e o Suicida.

Hello!

No episódio de hoje (ahahah) falaremos sobre 3 personagens: o Sujeito, o Distraído e o Suicida. Talvez você os conheça. Talvez você se identifique. Só não saia daqui sem pensar sobre eles.

O Sujeito é o cara que conhece a Palavra, se submete ao senhorio de Cristo, e se aplica em cumprir as orientações do Senhor. Ele sabe que precisa vigiar ( 1 Coríntios 10:12). Sabe que TODOS pecaram e que foram destituídos da Glória de Deus (Romanos 3:23). Sabe que está vulnerável e que não há segurança se a ideia for depender dele mesmo. O Espírito Santo é seu aliado e tem sinalizado quando os seus pés estão em perigo (Salmos 121:3).

O Distraído, também conhece ao Senhor, mas não tem vigiado. Não busca a Deus com frequência. Até deseja ter intimidade e tenta, na sua força, acertar o alvo. Mas vive caindo. Volte e meia tropeça em sua própria insensatez. Apesar da dor e vergonha geradas no caminho de retorno ao lugar onde caiu (Apocalipse 2:5), ele parece não ter memória longa. Logo se esquece. Não vigia outra vez e acaba por tropeçar nos mesmos lugares.

O Suicida, acredite você ou não, também conhece ao Senhor. Tem ouvido sua palavra, mas deliberadamente se lança para o pecado (Hebreus 10:26). Quem passa por ele não entende. “Como pode alguém ouvir o que ele tem ouvido e não mudar de atitude?” Ele não crê que as recomendações de perigo são válidas. Ele acredita apenas em sua própria razão e no que suas mãos podem tocar. Assim, só sabe que algo tem risco, quando se expõe a eles, e por acreditar que é capaz, ele assume o risco e se joga.

O que eles tem em comum?

São insuficientes e incapazes de lidar sozinhos com as questões que lhes são propostas.

O que eles tem de diferente?

O primeiro reconhece parte dessa insuficiência e pede ajuda. O segundo só percebe a falta de capacidade, depois da queda. O terceiro sequer considera que pode haver alguma falta.

Qual deles é você?

E se eu disser que você tem potencial pra ser os três?

Você pode lidar de diferentes formas com as diferentes áreas da sua vida. Em algumas, onde a sua incapacidade é conhecida desde o começo de sua vida, você se mantem alerta. Noutras, você sabe que são áreas de perigo pra qualquer pessoa, mas quando percebe, as circunstâncias da vida já te levaram pra lá. E infelizmente também existem aquelas que você tem convicção de que PRA VOCÊ elas não são um problema (“Imagina….eu caindo nisso??? jamais!)

Dia desses tive o privilégio de ouvir uma palestra do Jonas Madureira (se você não sabe quem é pelo amor de Deus procure saber) e, pra resumir, ele me bateu com os dois lados da mão nos dois lados do rosto (ahahah dramática). Ao falar sobre o livro dele, Inteligência Humilhada, fez um pequeno recorte e dissertou sobre a nossa insuficiência e nossa total dependência do Senhor. Ele também foi um daqueles que usou analogias envolvendo a luz (como citei em posts anteriores), mas o fez de forma didática e brilhante. Citarei algumas das várias frases que me impactaram:

  • “Insuficiência é a marca daquilo que não pode existir por si mesmo. Tudo subsiste por causa de Deus”;
  • “Dependência não é uma consequência da queda. Ela já existia antes disso. Tudo que foi criado é dependente de Deus”;
  • “A insuficiência nos perturba. Queremos o controle” (vocês lembram o meu “pequeno” problema com isso né?!);
  • “Pior do que o insuficiente é o miserável. Porque além de insuficiente, ele acredita que pode dar conta da sua vida sozinho”;

Virei pra amiga do lado e me “apresentei”: prazer, miserável!

Conciliando a história dos nossos personagens e as frases do Jonas, eu SUPER acreditava que era vigilante (o Sujeito) em todas as áreas. No entanto, vez após vez me pego pecando na mesma área (Distraído ou talvez Suicida): acreditar que sou suficiente em mim mesma.

Pra fechar, conversando com outra pessoa que trabalha com restauração em minha igreja, precisei ouvir: “Sabe Carol, enquanto você não matar a Carol que você idealizou… aquela que é perfeita… sem pecado… suficiente em si mesma (sim, parece que eu precisava mesmo gravar a frase)… a Carol que você realmente é, e para a qual o seu Salvador veio, não terá espaço pra existir e mergulhar nessa graça, amor e cuidado.”

O que eu quero com tudo isso é pedir a vocês que sondem os corações de vocês. É bem possível que eu não esteja sozinha nessa autossuficiência. É bem possível que vocês, assim como eu, passem a ter que fazer essa checagem diariamente para que não se enganem e acreditem em sua própria sabedoria e justiça.

O Senhor deseja nos restaurar por completo e nos fazer semelhantes a Jesus, mas só pode usufruir disso quem reconhece que é doente e precisa de médico (Marcos 2:17).

Deus abençoe vocês!

#Atéterça

😉

 

Por | 2017-08-22T08:13:39+00:00 terça-feira, 22 de agosto de 2017|Cristianismo, Devocional, Vida Cristã|0 Comentários

Sobre o Autor:

Crente das empolgadas, que pretende sim dominar o mundo (por que não?). Apaixonada por escrever, ler, dançar e cuidar de gente. Moro com meus pais, tenho uma irmã que é quase minha gêmea e uma sobrinha maravilhosa. Sou formada em Direito e atualmente faço teologia. E fico cada dia mais maravilhada com a forma que Deus consegue conciliar essas áreas. Luto para não ser legalista e tento matar minha carne todo dia. Convicta de que fomos #chamadosparaser a diferença no meio dessa geração e através disso fazer e corresponder a tudo quanto o Senhor planejar. Instagram: @caromenezes