SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL

Há espaço para o Amor?

Heeeeeeeeeeey!

Tem espaço pra amar aí? Tem espaço para o Amor?

O texto de hoje começa da observação da conversa de Jesus com a Mulher Samaritana. Você vai encontrar essa história em mais de um lugar, mas eu escolhi a narração feita em João 4:4-42. Como o trecho é longo, vou resumir aqui, mas se você não conhece a história na íntegra ou não lembra, por favor, pegue sua bíblia e leia. Obrigada.

Na história acima, Jesus está chegando de viagem e encontra essa mulher retirando água do poço. Não era uma tarefa fácil, mas era super comum às mulheres. Quando Jesus pede água a ela, significa mais do que um “por favor, estou com sede, pode me servir?”. Ele estava rompendo com os costumes, com as regras, por assim dizer, daquela época. Ela era Samaritana, ele era judeu. Ele não deveria falar com ela. Ele era um homem, ela uma mulher, ele não devia falar com ela. Mas se você olhar o versículo 4 do texto, temos um Jesus amável deixando claro aos seus discípulos que “era-lhe necessário passar por Samaria”.

Necessário por quê? Pra tomar água…Não! Pra dar de beber.

Então ele começa dizendo que está com sede. Ela se assusta e pergunta como assim eles estão conversando e ele está pedindo algo a ela. Ele responde que se ela soubesse com quem está falando pediria a ele que desse a ela de beber, porque a água que ele tem é capaz de saciar a sede de qualquer pessoa. Ela, ainda mais surpresa, responde que então ele se apresse em dar a ela tal água. Ele, vem com a chave de onde queremos chegar hoje: “Vá, chame seu marido e volte”. Ela triste responde que não tem marido. Ele, ciente da situação revelada pelo Espírito, comenta que sabe disso e que antes desse ela teve outros 5 maridos.

Me diz, o que essa mulher buscava em todos esses relacionamentos?

Ela queria ser amada! Ela queria conhecer O amor.

Sim, eu sempre olhei pra esse texto na perspectiva da capacidade de Deus de nos suprir em tudo como fonte de água da vida, mas hoje (enquanto escrevo esse texto) o que saltou aos meus olhos foi a estratégia de Jesus: “Filha, quero suprir suas necessidades aparentes (água para beber)”. Ela pode ter pensando: “Se ele pode fazer com que eu não tenha sede, pode fazer outras coisas, mas o que?”. Ele vai no ponto chave e diz nas entrelinhas: há uma sede de amor em seu coração que eu também posso suprir.

Estou lendo um livro chamado “A Dama, Seu Amado e Seu Senhor” de T.D. Jakes, e gostaria de compartilhar um trecho com vocês (p.41):

“Quando um sofrimento cresce demais, é ás vezes mais fácil proteger-se. O aguilhão do sofrimento não pode alcançar um coração envolto numa concha grossa, protetora – nem mesmo o amor consegue. Esse é um estado de expiação emocional.

Quando você bloqueia a dor, impede igualmente todos os outros sentimentos, e nada nem ninguém pode tocá-la. Os sermões não a tocam. O sexo não a toca. As carícias apaixonadas do amante deixam de tocar o ponto em que a dor é maior. Noites de ansiedade a deixam vazia.

– Há algo errado? – perguntam eles. – Não, está tudo bem -, você responde, mas suspira por dentro, vira-se no travesseiro e finge dormir. Eles não sabem que enquanto a envolvem nos braços, na verdade não a estão segurando. O seu verdadeiro “eu” está afastado do resto do mundo. É quase como se o seu coração estivesse dentro de uma armadura.

Você esta a salvo do sofrimento, ninguém pode feri-la, mas está sozinha, vazia e intocada.

Tenho certeza que quando alguém passa por tantos relacionamentos como aquela mulher, este alguém não passa ileso. Certamente existem feridas ali. Mas talvez depois do primeiro, impulsionada pela dor, ela tenha criado essa proteção citada no livro, e aí deste para o sexto (que atualmente estava com ela) todos os demais tenham sido superficiais. Mantidos a essa distância segura para que nenhum outro fosse capaz de tocá-la tão profundamente a ponto dela se sentir vulnerável, frágil e sujeita a dor.

Algumas pessoas atribuem a C.S Lewis a frase que diz que “Amar é estar vulnerável. Ame qualquer coisa e seu coração estará apertado e possivelmente quebrado” (confesso que não sei de que obra é essa citação).

Quero falar de dois tipos de amor aqui e que sofriam danos na vida daquela mulher, e talvez, sofram na sua também.

Amor humano: o ciclo de histórias vazias e quebradas daquela mulher provavelmente seria infinito até o dia de sua morte, caso Jesus não tivesse aparecido com sede para conversar com ela. Ela jamais iria expor pra alguém por livre vontade que aquela era sua história. Que dirá para um desconhecido. Ela apenas continuaria amando superficialmente e se deixando amar com reservas.

Quem seria capaz de mexer em algo tão dolorido?

Quem seria capaz de obrigá-la a falar dessa dor?

Somente o Amor poderia se fazer presente para tocá-la tão profundamente.

Se este é o seu caso, esteja você solteiro(a), namorando ou casado(a), preciso te dizer que você ainda não se abriu verdadeiramente para o amor. É possível que você não saiba o significado real desse tipo de amor que te permite largar as reservas. Permita que Deus, aquele que é o próprio amor, abra essa armadura e cure essa área em sua vida.

Amor divino: nenhum daqueles homens seria capaz de suprir a carência do coração daquela mulher. Há um espaço destinado ao seu cônjuge, mas não adianta você tentar esticá-lo de forma que ele preencha todas as demais áreas. Ele não é desse tamanho. Somente Deus pode suprir tudo e “matar a sua sede”.

Se me sinto suprida por um amor superficial, perceberei a necessidade de um amor real e incondicional? Não. É preciso primeiramente tirar o curativo que apenas evitava que nova sujeira entrasse, mas não tratava a inflamação interna. Tire rápido (Traga seu marido e volte). Vai arder (Não tenho marido). Sim, você já teve também outros cinco além desses, mas vá e volte (está inflamado, Estou ciente do tamanho do problema, mas Tenho cura aqui.)

Ela vai e chama as pessoas. Seu testemunho de ter encontrado alguém que conhecia a sua dor, os seus pecados e ainda assim foi capaz de romper barreiras para saciar-lhe a sede, atraiu outras pessoas. Todos ali foram tocados, porque ela se permitiu ser tocada, exposta e curada.

Tem espaço pro Amor aí? Tem espaço pra amar?

Reserve um tempo pra orar sobre isso hoje e se permita. O Amor quer se revelar a você hoje como nunca antes.

Deus te abençoe!

#Atéterça

😉

Por | 2017-08-31T09:34:10+00:00 terça-feira, 1 de agosto de 2017|Devocional, Namoro Cristão, Vida Cristã, vitrine|2 Comentários

Sobre o Autor:

Crente das empolgadas, que pretende sim dominar o mundo (por que não?). Apaixonada por escrever, ler, dançar e cuidar de gente. Moro com meus pais, tenho uma irmã que é quase minha gêmea e uma sobrinha maravilhosa. Sou formada em Direito e atualmente faço teologia. E fico cada dia mais maravilhada com a forma que Deus consegue conciliar essas áreas. Luto para não ser legalista e tento matar minha carne todo dia. Convicta de que fomos #chamadosparaser a diferença no meio dessa geração e através disso fazer e corresponder a tudo quanto o Senhor planejar. Instagram: @caromenezes
  • ELIANE BARBOSA

    – O Amor quer se revelar a você hoje como nunca antes. Amém!!!

    Tenho esse livro “A Dama, Seu Amado e Seu Senhor” mas nunca me interessei em lê, rsrs, sua citação me fez querer ler…

    Deus abençoe vc Carol 😉

    • Carol Menezes

      Leia mesmo, Eli! Você vai amar! Eu tenho vontade de grifar ele inteiro…hheheh <3