Tão verde…

Carol Menezes 11 de julho de 2017 0




Hello!

Minha oração é que vocês estejam firmes no Senhor e sejam abençoados em mais esse início de dia.

A pauta de hoje não é exatamente doce. Falaremos hoje sobre imaturidade.

Eu estou realmente impressionada com a quantidade de situações em que esse termo, por assim dizer, se encaixa. Logo eu, a guria que se achava diferentona, madura e a frente do seu tempo.

O título desse texto é engraçado pra mim, porque eu amo a cor verde. Mas não posso deixar de associar essa cor ao fruto quando não está maduro.

Eu questionava alguns posicionamentos meus e também tentava identificar o que faltava pra viver coisas que as pessoas sempre falavam que eu tinha potencial pra viver. Nisso, lembrei-me dos textos abaixo:

“Assim, se vocês não forem dignos de confiança em lidar com as riquezas deste mundo ímpio, quem confiará as verdadeiras riquezas a vocês?” Lucas 16:11

“Irmãos, não pude falar a vocês como a espirituais, mas como a carnais, como a crianças em Cristo. Dei a vocês leite, e não alimento sólido, pois vocês não estavam em condições de recebê-lo. De fato, vocês ainda não estão em condições, porque ainda são carnais. Porque, visto que há inveja e divisão entre vocês, não estão sendo carnais e agindo como mundanos?” 1 Coríntios 3:1‭-‬3 NVI

“Esta afirmação é digna de confiança: Se alguém deseja ser bispo, deseja uma nobre função. É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, moderado, sensato, respeitável, hospitaleiro e apto para ensinar; não deve ser apegado ao vinho nem violento, mas sim amável, pacífico e não apegado ao dinheiro. Ele deve governar bem sua própria família, tendo os filhos sujeitos a ele, com toda a dignidade. Pois, se alguém não sabe governar sua própria família, como poderá cuidar da igreja de Deus? Não pode ser recém-convertido, para que não se ensoberbeça e caia na mesma condenação em que caiu o Diabo.” 1 Timóteo 3:1‭-‬6 NVI

Vamos analisá-los por partes:

1) Uma das chaves para as quais você deve se atentar é a forma como tem lidado com as suas responsabilidades naturais e terrenas.
a) Você tem sido zeloso e cuidado de tais coisas como bom mordomo?
b) Você tem servido seus líderes (sejam pais, professores, chefes, etc) como que ao Senhor e não aos homens?
c) Você tem guardado a vida das pessoas que estão acima de você e abaixo também, em termos hierárquicos e organizacionais, protegendo as de toda fofoca, toda maledicência, etc.?
d) Se uma criança ainda tem se mostrado limitada ao lidar com um prato de plástico, você confiaria a ela um prato de vidro?

2) Outro ponto fundamental diz respeito ao que tem te alimentado:
a) Você tem estudado a palavra?
b) Você tem procurado mergulhar nas escrituras ou tem lido como alguém que pega uma revista de notícias dos famosos em uma sala de espera do consultório médico?
c) No texto de Coríntios ele fala dos frutos que aquelas pessoas vinham apresentando. Por vezes encontramos tais divisões e características em nossos grupos, mas será que temos nos atentado que essas coisas só ocorrem justamente porque ainda estamos no leite quando deveríamos estar aptos a ingerir alimento sólido?

3) Por fim, outro aspecto que precisa ser combatido é a religiosidade:
a) Será que apesar de caminharmos com Cristo há alguns anos, não temos agido como neófitos?
b) Será que apesar de proferirmos discursos decorados, e parecermos super santos, temos nos atentado para as características e recomendações de vida de um ministro?

Esclarecimento: se você está esperando uma nomeação, culto de ação de graças, salva de tiros ou qualquer coisa do gênero pra então começar a corresponder a alguma orientação do Senhor sobre o serviço no Reino, volte 10 casas e fique uma rodada sem jogar. Eu não estou falando sobre isso.
Penso que os títulos, que também tem sua importância, vem apenas para reconhecer uma postura de testemunho e serviço que já são praticadas. Se você pensou em começar a agir de forma íntegra, etc só depois do título, mano você não entendeu nada e não deve exercer essa missão.

Estou falando sobre viver níveis cada vez mais profundos de intimidade com Deus e de contemplar a manifestação dos dons em sua vida e ministério. Por vezes nos sentimos travados e procuramos culpados até “no cosmos” se duvidar, mas não olhamos pras nossas pequenas ações que denunciam nossa imaturidade.
O Senhor deseja nos levar pra águas mais profundas, mas não vai pegar alguém que nunca viu o mar e jogá-lo em alto mar do nada. É importante que você experimente primeiro as águas molhando seus pés, mas que caminhe, deixando pra trás tudo o que te impede de ir mais fundo.

Deus abençoe vocês!

#atéterça

😉




Deixe um comentário »