SOBRE NÓS

O ministério Não Morda a Maçã está há 9 anos a serviço do Reino para inspirar adolescentes e jovens a conhecer Jesus através da leitura e revelação da palavra de Deus. Continue lendo

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL

Que amor é esse?

 

Oi oi! Todos bene?

Eu não sei se já contei aqui (memória fail), mas costumo orar enquanto estou no chuveiro ou mesmo ficar pensando em coisas sobre as quais li ou ouvi horas antes e, não poucas vezes, as melhores ideias e devocionais saem exatamente desse tempo. O texto de hoje surgiu exatamente de um momento assim.

Minha imaginação, graças a Deus, é extremamente fértil e eu consigo viajar na maionese sem muito esforço. O Espírito Santo tem se mostrado igualmente empolgado e costuma usar isso pra falar ao meu coração.

Pouco antes do banho, eu orava sobre algumas questões e pedia que o amor de Deus se manifestasse na vida de algumas pessoas. Ao entrar no banho, pensei “o que é o amor?”

A primeira resposta sobre isso foi: Amor não é algo que Deus faça. Amor é o que Ele é.

A segunda pergunta foi: E como o amor se manifesta?

Lembro de pensar: Uau! Tem tantas coisas! Esse assunto pode ser tão amplo…

Em seguida algumas cenas vieram a minha mente: pessoas em estado de choque indo em direção a um precipício. Pareciam estar em esteiras rolantes. Não precisavam de nenhum esforço. Elas apenas se deixavam levar.

Me vi a certa distância dessas pessoas e gritando para que me ouvissem enquanto eu lhes dizia que estavam indo em direção a morte. Elas não me ouviam. Seguiam em direção a queda. Algumas menos “anestesiadas”, me olhavam com certo desdém. Se sentiam provocadas e reclamavam, mas continuavam seguindo naquela direção.

Então o Espírito Santo me disse: “pare de gritar por mudança de rota. Vá até elas, olhe em seus olhos, tome pela mão e leve contigo pelo caminho de vida que você tem trilhado. No caminho que você percorre, até que os olhos delas sejam abertos, elas precisarão ser conduzidas em cada passo. Haverão obstáculos, degraus…elas precisarão de guias.”

Quero que você tire um tempo agora pra meditar sobre essa simples ilustração.

  • Penso que temos agido com os descrentes exatamente como eu agi nessa ilustração. Como igreja temos gritado de longe: “Hey! Você… você mesmo pecador, está indo pro inferno. Saia daí.” Não queremos ter contato direto com eles. Estamos num nível mais elevado ou estamos com medo de ao invés de influenciar sermos influenciados? Hum… o simples fato de pensar estar num nível elevado, demonstra o quão enganados estamos ao nosso próprio respeito.
  • Adianta de que ficar a parte gritando? Eu não gosto que fiquem gritando na minha orelha! Então por que tenho feito exatamente isso?
  • Você não deu ouvidos à mensagem porque alguém gritava seu erro pro mundo. Você deu ouvidos porque o amor de Deus foi manifesto através de alguém que apesar de continuar te mostrando o erro, te mostrava agora a solução que ele mesmo fazia uso, porque é tão carente dessa misericórdia quanto você.
  • Você já se perguntou por que as pessoas tem rejeitado o evangelho? Penso que um dos motivos seja justamente o fato de nos colocarmos em posição de superioridade em relação a eles. E isso é tão contraditório diante de um Deus que se diminuiu pra se tornar um de nós, não é mesmo?
  • Qual exatamente é a nossa diferença em relação aos fariseus que tanto condenamos em nossos discursos? Ou em relação aos idólatras? Não temos nós cultuado os nossos feitos ou a nossa “posição” ministerial? E pensar que o único feito que realmente foi relevante e mudou a história, por vezes, é descartado em nossas abordagens. Deixamos de falar do “Eu sou” pra falar de quem somos (e quem somos? Não foi exatamente Ele que nos deu identidade?).

Esse texto é um convite não a flexibilizarmos o evangelho, mas pra lembrarmos que nem o pecado, nem o comportamento legalista (que também é pecado) estão distantes de nós. Se olhar bem, você encontrará dentro de você mais dessa soberba e altivez do que pudesse dar conta.

Por fim, quando não reconhecemos nossa condição de pecado e apenas nos dedicamos a acusar os outros, estamos correndo na esteira ao lado. Aparentemente seguindo no sentido contrário, mas sendo levados pro mesmo destino dos demais.

Ame o suficiente a ponto de não permitir que as pessoas caminhem cegamente para o precipício, mas lembre-se de que você só não tem mais a mesma sentença porque Aquele que é o amor se fez sacrifício em seu lugar. Não é algo que você tenha conquistado. É algo que Ele simplesmente fez!

Ame o suficiente pra ensinar o evangelho genuíno (2 Timóteo 4:2), e deixe que o lavar regenerador da Palavra purifique (Efésios 5:26) a conduta daqueles que te ouvem.

“Que o Senhor faça crescer e transbordar o amor que vocês têm uns para com os outros e para com todos, a exemplo do nosso amor por vocês”. 1 Tessalonicenses 3:12

Deus abençoe vocês!

#AtéTerça

😉

O post de hoje conta com a arte da linda Carolina Araújo <3 Obrigada por aceitar a missão em cima da hora =P

Por | 2017-08-19T23:53:22+00:00 terça-feira, 27 de junho de 2017|Cristianismo, Devocional, Evangelismo, vitrine|0 Comentários

Sobre o Autor:

Crente das empolgadas, que pretende sim dominar o mundo (por que não?). Apaixonada por escrever, ler, dançar e cuidar de gente. Moro com meus pais, tenho uma irmã que é quase minha gêmea e uma sobrinha maravilhosa. Sou formada em Direito e atualmente faço teologia. E fico cada dia mais maravilhada com a forma que Deus consegue conciliar essas áreas. Luto para não ser legalista e tento matar minha carne todo dia. Convicta de que fomos #chamadosparaser a diferença no meio dessa geração e através disso fazer e corresponder a tudo quanto o Senhor planejar. Instagram: @caromenezes