Relativismo e firmeza na fé

Lucas Guimarães 14 de junho de 2017 0




Lendo o livro de Atos hoje, algo me chamou atenção:

Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos.
Atos 4:12 – NVI

Meu querido, em uma era tão voltada para o relativismo, é importante que, como igreja, estejamos firmes em nossa fé e mostremos essa firmeza na proclamação dela. Tomo como exemplo, nessa passagem, os apóstolos Pedro e João.

Após haverem sido presos por causa da proclamação do nome de Jesus Cristo, mediante a cura de um paralítico, e recebido questionamentos acerca de com que autoridade faziam aquelas coisas, não se calaram. Embora as adversidades tenham sido muitas, não puderam negar em suas palavras e atitudes a fé que tinham no Filho de Deus.

Me pergunto se temos a mesma atitude. Não estou aqui para condenar ninguém, eu mesmo sou falho quanto a essa questão. Minha proposta é fazer com que reflitamos em nossas atitudes e que mudemos o nosso agir.

Pedro e João receberam ameaças para que ficassem calados e não continuassem com a proclamação do nome de Cristo, e a resposta deles foi:

Julguem os senhores mesmos se é justo aos olhos de Deus obedecer aos senhores e não a Deus.
Pois não podemos deixar de falar do que vimos e ouvimos.
Atos 4:19,20 – NVI

Nosso problema é que não tememos a Deus como deveríamos. Não falo “temor” no sentido de “ficar morrendo de medo de Deus”. Acredito que o ‘medo’, em certo sentido, tenha o seu lugar, mas o temor é muito mais do que isso; é honra, é respeito. Precisamos dar honra a quem merece honra. Tememos o homem porque amamos a nós mesmos. Não queremos que nos difamem, nem que nos tomem como intolerantes, queremos preservar a nossa “boa fama”, queremos ser bem vistos. Mas que possamos lembrar que os fariseus faziam isso e apenas nisso tiveram a sua recompensa, na glória dos homens. Assim, nós teremos a capacidade de abrir a nossa boca e falar de Jesus Cristo e de seu Reino, pois temeremos a Deus, e não aos homens.

E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.
Mateus 10:28 – ACF

Diante de tanta “modernidade”, de uma era de “revolução sexual”, de “liberalidade de direitos”, de sincretismo religioso, de ecumenismo, em nome da liberdade, a imoralidade domina as ideias. Cada um prega o que é bom aos seus próprios olhos e o discurso do politicamente correto é abundante, de maneira que a tendência é que sejamos impelidos a falar cada vez menos o que nos é ordenado por Deus que falemos. Não podemos “invadir a individualidade” do outro, é o que dizem. Embora haja verdade nessa afirmação, ela não é absoluta. Se nós a entendermos assim, absoluta, fica anulada a nossa missão, como igreja, de evangelizar, pois não poderíamos tentar “forçar” nossa fé nas outras pessoas. E, agindo assim, acabamos deformando o verdadeiro Evangelho. É preciso que estejamos firmes em nosso entendimento para não sermos alcançados por fábulas. As doutrinas sociais de hoje, na minha concepção, têm muita semelhança com as fábulas das quais o apóstolo Paulo faz referência:

Rejeite, porém, as fábulas profanas de velhas e exercite-se na piedade.
1 Timóteo 4:7

Falo tudo isso porque quero que estejamos bem certos da nossa fé. Como o primeiro texto que eu colei aqui diz, não há nenhum outro nome pelo qual importa que sejamos salvos. Não há salvação em outro que não seja o nosso Cristo. Não é como se estivéssemos sendo egoístas ou presunçosos com essas afirmações, porque não pregamos a nossa própria glória, e sim a glória do Unigênito do Pai, que, em carne, morreu e ressuscitou, estando à direita de Deus. Só através do sangue vertido por Ele na cruz podemos ser perdoados pelos nossos pecados, pois o Seu sangue foi alto preço. Não caia no relativismo, não se permita pensar que “Deus conhece o coração de cada um, portanto não posso julgar ninguém; afinal, a pessoa pode ter um bom coração e ser salva”. Não há o que se discutir aqui. Ninguém é salvo por obras, mas pela graça, mediante a fé em Cristo, que gera obras.

Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus;
não por obras, para que ninguém se glorie.
Efésios 2:8,9

Portanto, não se deixe influenciar pelas coisas que são contrárias às Escrituras. Aprenda da Palavra de Deus, para que ela seja o teu escudo e a tua espada, na luta contra as deturpações do Evangelho de Jesus Cristo.

Que o Senhor o abençoe. Produza frutos.




Deixe um comentário »