Qual é a sua desculpa?

Carol Menezes 18 de abril de 2017 0




Oooooi, minha gente! Todos bene?

Quero falar hoje sobre algo que sempre intrigou meu coração: o questionamento do por que Jesus quando ia curar alguém, por vezes perguntava se a pessoa queria ser curada ou do que ela precisava. Pensava: Cara, ele não enxerga! É óbvio que a maior necessidade dele é enxergar. (exemplo) Será?

Dia desses ao fazer meu devocional no livro de João 5, comecei a meditar na experiência do homem que era paralítico há 38 anos e ficava no Tanque de Betesda esperando pra ser curado. (Vale a leitura do capítulo todo, mas fiz um pequeno recorte)

Um dos que estavam ali era paralítico fazia trinta e oito anos. Quando o viu deitado e soube que ele vivia naquele estado durante tanto tempo, Jesus lhe perguntou: “Você quer ser curado?”
Disse o paralítico: “Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada. Enquanto estou tentando entrar, outro chega antes de mim”.
Então Jesus lhe disse: “Levante-se! Pegue a sua maca e ande”. Imediatamente o homem ficou curado, pegou a maca e começou a andar. João 5:5-9

Jesus queria saber onde estava o coração daquele homem. Este, por sua vez, justifica sua doença com base na omissão dos outros. Joga a culpa de sua dificuldade nos outros.

Jesus então, de forma a primeiramente mostrá-lo que ele não precisava de outro mediador que não o próprio Cristo, manda que ele se posicione (Levante-se!), acreditando nessa palavra (pegue a sua maca), e receba a cura (ande).

Existem muitas questões que já estão disponíveis pra nós, as quais não experimentamos porque estamos focados no que os outros não tem feito por nós. Estamos clamando por outros mediadores quando Cristo já veio para ser suficiente.

Sim, precisamos de líderes. Sim, a palavra fala pra quando alguém estiver enfermo chamar os presbíteros pra orarem por ele. Não estou tentando invalidar isso. Mas a bíblia também fala que aquilo que nós pedirmos em nome de Jesus, crendo, receberemos (Mateus 21:21-22). Comece você a orar e colocar sua fé em ação. Você perceberá que o Senhor deseja revelar os segredos do coração dEle diretamente pra ti.

Uma das coisas mais lindas que vejo minha pastora e discipuladora fazer, mas também que me deixam com raiva as vezes (porque é mais fácil ficar deitado na “maca” esperando que alguém me carregue” e a atitude dela me obriga a sair da zona de conforto), é que ela nunca me priva de ouvir diretamente de Deus o que eu preciso fazer ou como eu preciso me posicionar. A única ressalva nesse sentido é quando eu preciso de uma “poda” ahahah, porque daí investida da autoridade dada pelo Espírito Santo, ela vem e me racha no meio ahhaah. Mas quando são decisões, posicionamentos que poderão trazer consequências diferentes pra minha vida, ela me pergunta: “O que o Senhor tem dito pra você?” Ela não age assim por omissão! Muito pelo contrário. Ela o faz porque não deseja ocupar um lugar em meu coração que não pertence a ela. Esse lugar só pode ser ocupado por Deus. Se eu não me posicionar por amor a Ele ou buscando fazer Sua vontade, amanhã ou depois poderei reclamar dizendo que foi ela que me induziu ao erro.

[Um destaque importante: nós líderes, por vezes, somos tentados nesse sentido de querer determinar o destino das pessoas. Não limitamos nossos aconselhamentos a direção do Espírito Santo. Queremos reproduzir pequenos “nós” ao invés de reproduzir “pequenos Cristos”. Nós somos apenas instrumentos de Deus. Precisamos ser imitadores de Cristo pra então, como Paulo, dizer: sejam meus imitadores. Mas não podemos em nenhum momento querer ocupar o lugar de mediador entre Deus e os homens. Essa vaga já foi ocupada e não está aberta à substituição.]

O segundo ponto que me pegou, foi imaginar os momentos em que estamos diante do Pai e Ele nos pergunta: “e aí filho do que você precisa?” Olhamos pra Ele, cheios de chagas em nossos corações, e respondemos: “preciso que você cure a minha unha… eu a quebrei”.

Oooooooooi?

Imagino Ele olhando pra nós e pensando: “filho, se eu não curar essas chagas, não são apenas as unhas que você irá perder…Sua vida está em jogo.”

A verdade é que apesar de termos necessidades grandes, como no exemplo do cego que citei, e isso parecer óbvio, não temos sondado nossos corações genuinamente para encontrá-las. Temos sido superficiais ou mesmo irresponsáveis, culpando outros pelas nossas limitações ou estágios aparentemente travados.

O Senhor deseja que cada dia mais possamos nos aproximar Dele, para conhecer Seu caráter, desfrutar de Sua presença, sermos transformados por Sua graça, mas também deseja que conheçamos nossas limitações, reconheçamos seu senhorio e nos apeguemos a cura que já está disponível pra nós. Cura essa, não apenas física, mas emocional, também.

Quais tem sido suas desculpas? Como você tem tentado justificar suas ações?

Sim, este texto nasceu também do impacto dessas palavras em minha vida. Descobri em mim uma grande habilidade para me justificar e para repetir obediências parciais. Não me orgulho disso. Ao contrário, tenho visto os efeitos disso em minha vida e a reparação por vezes é dolorida.

Minha oração é que da mesma forma que o Senhor me convidou a olhar pro “todo” ao invés de focar a “unha quebrada”, me chamou a parar de usar desculpas e me apegar a cura, vocês possam responder a esse mesmo convite nesta amanhã: Você quer ser curado? Levante-se! Pegue sua maca e ande.

Deus abençoe vocês!

#Atéterça

😉




Deixe um comentário »