Ofertando a vida alegremente

Carol Menezes 4 de abril de 2017 1

Hello, gente linda!

Espero que vocês tenham começado mais um dia cheios da presença de Deus. Eu sei que dependendo da hora em que você acorda e, principalmente, se você for mais noturno que diurno (tipo eu), não é exatamente saltitante que você está nesta manhã. Maaaas, o nosso Senhor que não está limitado ao tempo e nem ao cansaço como nós está disponível em todo momento e não é diferente hoje. Entonces, receeeeeba (leia isso enquanto imagina alguém dando um “hadouken” enquanto fala) a porção da graça e misericórdia dEle reservadas pra ti.

Nessa pegada de que nem sempre estamos saltitantes, lembrei de uma conversa que tive com uma amiga e em que ela falava que o Senhor a levou a meditar no versículo abaixo, mas numa pegada um pouco mais ampla do que de costume:

“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.” 2 Coríntios 9:7

Esse versículo está num contexto onde Paulo fala sobre a lei da semeadura. No versículo anterior a esse, ele fala sobre semear pouco e ceifar pouco, etc. Normalmente, o que é correto também, esse versículo é associado com as ofertas e dízimos que entregamos na casa do Senhor. No entanto, neste dia em que minha amiga comentou comigo, o Senhor a levou a pensar em TODO TIPO DE OFERTA que fazemos.

Como bons crentes, costumamos dizer que nossa vida é uma oferta ao Senhor… Que ofertamos nossa juventude… Que ofertamos nosso tempo em trabalhos voluntários… Que ofertamos nossos ouvidos quando nos dispomos a discipular pessoas, etc. Nós somos bons mesmo de discurso! Todavia, por vezes não é exatamente uma postura de ALEGRIA que o Senhor encontra em nossa conduta.

Reclamação, temos. Argumentos convincentes, também. Mas alegria…

A gente reclama valendo e o que era pra ser expressão de amor a Deus parece fardo e por vezes ao invés de ser “o melhor” passa a ser “resto”.

“Caro, você está sendo radical! Todos temos o direito de nos sentir cansados, estressados, etc. Fora que eu só comento com quem eu sei que vai entender a minha zoeira”

Eu sei, minha gente! Essa que vos escreve é uma das integrantes do grupo dos hiperativos – ativista que se envolve em todos os projetos da vida e depois fica cansada e desesperada por não dar conta. Eu também já me peguei reclamando MUITAS vezes na base da zoeira, mas em MUITAS outras era baseada em fatos reais mesmo. Ocorre que isso além de não edificar os irmãos, não alivia a sua carga e tão pouco é oferta agradável ao Senhor. Então, bora corrigir a rota e alinhar o coração.

Mais vale o pouco, mas feito com alegria e o coração no lugar certo, do que o muito regado de murmuração e desprezo.

Ou talvez você não é dos que verbalizam o cansaço ou sobrecarga, mas os seus olhos (e por vezes olheiras) te denunciam, meu bem. Não estou dizendo que todo ser humano com olheiras está ofertando a vida do jeito errado. O que quero dizer é que se você está fazendo algo com o coração dizendo uma coisa e sua postura outra, seu semblante vai te denunciar.

Eu tenho um amigo que sempre me dá umas voadoras nesse sentido. Dessa vez não estou falando do Espírito Santo. Estou falando de alguém usado por Ele. Esse amigo já chegou a me dizer: “Deus vai precisar te colocar numa cama pra você entender que nesse ritmo não vai rolar?” O mais legal é que normalmente quando ele chega nessa pegada, nem estamos falando de nada. Eu só passei na frente dele, ele olhou pra mim e veio bem no queixo. Hahahah (to rindo, mas é de nervoso)

Eu ainda estou na vibe do “um dia de cada vez” tentando me desintoxicar desse comportamento ativista. Hoje já sou melhor do que fui, mas ainda tem bastaaaaaaante espaço pra melhorar.

Se você é desses, sonde seu coração, pois no meu caso havia um profundo desejo de aceitação e aprovação dos homens que estava camuflado ali. E quanto a isso não estou falando apenas do serviço cristão. Estou falando de tempo com a família e os amigos também. É melhor que você esteja poucas vezes, mas ESTEJA de verdade e com alegria, do que estar sempre ali, mas com a cabeça em outro lugar. Quando for pra estar, seja para ter tempo de qualidade.

As pessoas vão te cobrar e tal, mas aos poucos irão perceber que a qualidade da sua presença mudou significativamente quando você contribuiu conforme propôs em seu coração e o tem feito a partir de então com alegria, e aos poucos irão preferir sua nova postura.

Quanto a perseverança para se manter firme e alegre mesmo em meio a essas situações todas, recorra ao único que realmente pode ser a sua fonte de alegria inabalável: Deus! É tudo sobre Ele. Sempre foi e sempre vai ser.

Deus abençoe vocês!

#Atéterça

😉





Um comentário »

  1. NATÁLIA 26 de maio de 2017 às 18:53 - Reply

    Oi Carol, mto bom seu texto! Estou aqui lendo ele e pensando que todas as vezes que a gente resolve olhar para dentro e cavar os gatilhos que nos fazem (ativistas, legalistas e qlq istas hehe), sempre vamos nos deparar com o nosso coração pecaminoso e com as motivações equivocadas. Que Deus continue a falar através de vc! Beijos 🙂

    Ps. Um livro bom sobre aceitação e pecados afins… O Desejo De Agradar Outros | Louis Paul Priolo
    Vale muito a leitura… bjooo

Deixe um comentário »