De quantos testemunhos se faz um cristão

Diego Cesar 23 de março de 2017 0

E aí, pessoal. Beleza? O ser humano é social por sua própria natureza. Por mais que o indivíduo seja tímido, ele deverá se relacionar com alguém (nem que seja, por exemplo, um membro da família). Haverá sempre oportunidade para diálogo e troca de experiências.

O cristianismo também propicia que as pessoas se relacionem (Salmo 133.1). Afinal, não faria sentido receber a boa nova da salvação e fechar-se num mundo à parte. O que Jesus fez por nós é tão maravilhoso que torna-se impossível deixar de contar a outras pessoas.

O fato de ser cristão permite que a gente passe a se preocupar com as necessidades dos outros. Mais do que isso. Coloca as demandas alheias na frente das nossas próprias. Isso para o mundo – que deve ser entendido como um sistema afastado de Deus – é loucura, já que prega o extremo oposto: só se dá bem na vida aquele que pisa nos outros.

Acredito que seja válida uma reflexão para todos nós. Não temos noção do alcance que nossas atitudes têm nas pessoas ao redor, incluindo aquelas que não sabemos nem o nome (como a senhora no ponto de ônibus, o rapaz na fila do banco, a criança com os pais no shopping). Sendo cristãos, nos pesa uma obrigação maior ainda de que a mensagem que levamos (sem nem perceber) até elas seja a mais positiva possível.

Prega a Palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. 2 Timóteo 4.2

Não quero dizer com isso que você precisa andar com uma pregação no bolso para estar municiado em uma eventual abordagem evangelística. A melhor mensagem que você pode entregar é o testemunho do que o Senhor tem feito por você (o que não é pouca coisa).

Falo isso também porque no corre-corre que vivemos às vezes nem percebemos que perdemos contato com alguns amigos ou parentes. Nesse processo de distanciação, fica difícil avaliar o quanto influenciamos positivamente (entenda como o quanto de Cristo entregamos) aquelas pessoas antes próximas.

Imagine o peso de saber que uma pessoa de seu círculo social faleceu sem conhecer a Jesus. A situação fica mais dramática ainda quando você lembra das oportunidades desperdiçadas que teve de evangelizá-la.

Para não passar por esse constrangimento, torne suas conversas em meio de transmitir o amor de Cristo para os outros.

Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos. 1 Tessalonicenses 5.14

Semana abençoada, em nome de Jesus. Abração!





Deixe um comentário »