Sobre Mateus 6.33

Diego Cesar 9 de fevereiro de 2017 6

 

Fala, pessoal. Beleza? Não é difícil encontrar erros doutrinários sendo abraçados por igrejas, infelizmente. Um deles é ensinar que ser crente é sinônimo de ser rico. Na opinião de quem acredita nisso, se você vai assiduamente às reuniões e mesmo assim está atolado em dívidas, certamente tem pecado escondido (“afinal de contas, um filho de Deus não passa necessidade…”).

Até utilizam a Bíblia para justificar sua teoria. Um dos textos mais martelados é este:

Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Mateus 6.33

O problema inicia com a deturpação do ensino de Jesus. Já vi (mais de uma vez) comentarem em cima deste versículo que Deus teria a obrigação moral de abençoar Seus filhos que O buscassem. E deveria abençoar em tudo. O erro existe por conta de uma interpretação isolada do texto (sem levar em consideração o contexto em que o Senhor falava aos discípulos) e também por suprimirem parte dele (em vez de ler “e todas estas coisas vos serão acrescentadas”, o leitor preguiçoso vê “e todas as coisas”). Aí fica fácil esperar que Deus tenha o dever de sustentar quem frequenta igreja…

Quando você faz uma leitura a sério desta passagem do evangelho de Mateus, fica óbvio que Jesus prometeu suprir nossas necessidades, não dar luxo. Toda teologia que ensina que prosperidade financeira é sinal de intimidade com Deus não passa de doutrina humana e herética.

Não ache que ser cristão o torna necessariamente rico de bens materiais. Se for da vontade do Senhor que você seja abençoado desta maneira, assim será. Mas se não for, isso nunca terá a capacidade de diminuir a soberania de Deus sobre sua vida.

Sempre é bom lembrar que um cristão não é proibido de ter coisas de valor. O que não pode ocorrer é colocar as riquezas no lugar de seu relacionamento com Deus, tornando-as em seu ponto de segurança (o que, por tabela, transforma Cristo em simples chamariz para suas conquistas pessoais).

Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é a raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores. 1 Timóteo 6.8-10

Existe um provérbio que diz haver gente tão pobre, mas tão pobre, que a única coisa que tem é o dinheiro. Se você quer ser rico em algo que valha a pena, que seja no seu relacionamento com o Senhor.

Semana abençoada, em nome de Jesus. Abração!

 

 

 



6 Comentários »

  1. LAIANE 9 de fevereiro de 2017 às 7:40 - Reply

    Muito bom o texto. Que possamos nos desvincular dos bens materiais, e nos apegarmos mais em Cristo cada dia mais. “Quanto a mim, o viver é Cristo e o morrer é LUCRO” ♥ fiquem na paz do Senhor 🙂

    • Diego Cesar 9 de fevereiro de 2017 às 15:36 - Reply

      O que vale realmente nessa vida é estreitar o relacionamento que temos com Deus (que refletirá pela eternidade). Paz.

  2. Danielle 9 de fevereiro de 2017 às 10:31 - Reply

    nossa muito boa a palavra Deus abençoe que possamos ser guiado pelo Espirito Santo … em tudooooo

    • Diego Cesar 9 de fevereiro de 2017 às 15:39 - Reply

      Devemos mesmo ficar sempre atentos ao que o Senhor nos diz. Deus a abençoe.

  3. Ricardo Rodrigues 10 de fevereiro de 2017 às 7:09 - Reply

    Gloria a Deus. Fico muito feliz em ver que existem pessoas/ministérios que não se contaminaram com a maldição da “Teologia da Prosperidade”. É a cruz que temos que carregar diariamente, é a Jesus que temos que amar, é o Céu que precisamos buscar. Isso basta!

    • Diego Cesar 10 de fevereiro de 2017 às 10:39 - Reply

      Isso mesmo, Ricardo.

Deixe um comentário »