Ainda que…

Camilla Vieira 1 de fevereiro de 2017 1




 

 “Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação.”

(Habacuque 3.17-18)

Talvez o texto acima não te faça tanto sentido porque você não tem nenhuma figueira, ovelha ou mesmo plantação, mas certamente você vive em meio a diversas circunstâncias, onde muitas vezes elas não te parecem favoráveis, certo?

Por muitas vezes passaremos por momentos não tão doces, talvez até amargos, ao menos numa ótica humana. Não sei exatamente como você lida com esses momentos, se chora, se fica quieto, se desabafa ou até se desespera, mas há uma maneira honrosa citada no versículo de Habacuque”ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação”. Cara, eu tenho certeza que naturalmente a tendência do homem é totalmente contrária a essa. Imagine, ficar feliz com a tristeza! Não é simples à primeira vista, porém, estou certa de que Deus molda e nos ensina a ter um coração grato mesmo aí.

Já ouvi falar que as pessoas crescem com as circunstâncias, mas é mais coerente ainda dizer que as pessoas crescem quando se sujeitam a Deus nas circunstâncias. Ora, isso quer dizer que as circunstâncias por si só não fazem nada, o que nos interessa é o que fazemos com elas. A conformidade com a imagem de Jesus é algo que exige de nós, é um trabalho como o de um escultor: enquanto não se bater na pedra, enquanto não houver todo o processo de retirar aquilo que não faz parte da imagem, não haverá a arte – o que significa que precisa acontecer algo para que haja mudança.

Não se prenda às circunstâncias, sabe, elas são passageiras! Em tempos difíceis, lembre-se que está aqui brevemente e que um dia você morará em paz com O Amor. Jesus nos ensinou, de alguma forma, que olhar para as circunstâncias nos atrapalha a andar com ele.

“Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: ‘Senhor, salva-me!'” (Mateus 14.30)

Contextualizando, esse é o trecho em que Pedro anda com Jesus por sobre as águas. As circunstâncias? O vento soprava contra o barco e as águas estavam agitadas. Pedro estava sobre as águas, mas foi quando ele reparou no que estava contra ele que começou a afundar. Pequeno homem, sozinho não poderia andar sobre o mar, provavelmente o vento também o derrubaria e as águas o cobririam. Nada estava cooperando, possivelmente encontraria mais barreiras, mas o que Jesus queria era que ele confiasse, parasse de encher sua mente com os problemas ao redor e se lembrasse que não era sobre o poder de Pedro, mas sobre o poder de Deus. Em tudo devemos viver para Ele e nesse tudo glorificar Seu nome com gratidão.

 

Lembre-se: seja qual for a circunstância, é uma oportunidade de louvar a Deus!

 




Um comentário »

  1. Rafael 13 de março de 2017 às 14:34 - Reply

    Tudo que eu precisava pra hoje! DEUS ABENÇOE GRANDEMENTE 😉

Deixe um comentário »