Fazer a vontade do Pai e concluir sua obra

Luiz Roselli 5 de agosto de 2015 1

Olá galera, bom dia! Cheguei há poucos dias de mais uma viagem missionária. Foram 14 dias intensos de missões em Petrolina/PE. Realizamos diversos trabalhos lá como: palestras em escolas públicas sobre bullying,  abuso e exploração sexual, gravidez na adolescência, perspectiva de futuro, drogas; evangelismos de impacto nas ruas, praças e orla da cidade, trabalho com crianças em creches; servimos também a igreja local com pregação, louvor, cultos, ministério de jovens e adolescentes. Foram dias incríveis onde vimos Deus trabalhando em nós e através de nós, pela Sua graça, para Sua glória!
Esses dias me fizeram refletir sobre a passagem abaixo, e queria compartilhar algumas verdades bíblicas com vocês:

“Disse Jesus: “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra.
Vocês não dizem: ‘Daqui a quatro meses haverá a colheita’? Eu lhes digo: Abram os olhos e vejam os campos! Eles estão maduros para a colheita.” (Jo 4.34-35)

1º Fazer a vontade do Pai – Jesus foi um filho extremamente obediente. Através de sua vida, Ele mostrou compromisso não com sua própria vontade ou desejo, mas com a vontade do Pai. Jesus cumpria a vontade do Pai porque obedecia em fazer a obra do Pai. E Deus quer que sejamos como Jesus.

Um teólogo diz que:

Fazer a vontade de Deus e concluir sua obra é unir sua vida à missão do Pai; uma vez que toda verdadeira missão é Deus realizando sua obra. E a missão de Deus é: glorificar seu nome, estabelecer seu Reino e reconciliar consigo o mundo.”

2º A missão do Pai é urgente – Jesus mostrou urgência no cumprimento da missão – os campos estão maduros para colheita! A missão é para ser cumprida hoje e agora, sem demora, sem enrolação, sem desculpas, sem resistências, sem pretexto, sem escusa. Não há tempo para perder, não é para daqui 4 meses, é para já! É uma tarefa impostergável!

Mais de dois terços da humanidade ainda estão por serem evangelizadas. Causa-nos vergonha ver tanta gente esquecida; continua sendo uma reprimenda para nós e para toda Igreja

3º A missão do Pai é intransferível – Jesus coloca os discípulos na posição de trabalhadores; eles é quem devem continuar a obra e colocar a mão no arado após sua partida. Essa tarefa é exclusiva dos discípulos/Igreja e intransferível; a Igreja não pode terceirizar ou passar para outro sua responsabilidade.

A Igreja ocupa o ponto central do propósito divino para com o mundo, e é o agente que Ele promoveu para difundir o evangelho.”

4º Abram os olhos e vejam – Essas são as palavras de exortação de Jesus para os discípulos; eles estavam cegos para as verdades, dormindo diante da realidade e encarando a tarefa com leviandade. Talvez assim também está caminhando a Igreja hoje, cega aos perdidos, pobres, necessitados, excluídos, marginalizados. Jesus requer nossa atenção e sobriedade. Precisamos acordar do sono que caminhamos, não podemos ser encontrados como servos inúteis e infiéis.

Perguntas que saltam a nós: Tenho feito a vontade de Deus? Tenho cumprido minha tarefa?

Minha oração é para que todos nós possamos declarar, em forma de oração, as palavras finais do Pacto de Lausanne, Suiça, 1974:

Portanto, à luz desta nossa fé e resolução, firmamos um pacto solene com Deus, bem como uns com os outros, de orar, planejar e trabalhar juntos para a evangelização de todo o mundo. Instamos com outros para que se juntem a nós. Que Deus nos ajude por sua graça e para a sua glória a sermos fiéis a esse Pacto! Amém. Aleluia!

SOLI DEO GLORIA



Um comentário »

  1. Daivid Silva 7 de agosto de 2015 às 22:39 - Reply

    Parabéns. Bela reflexão. Por favor, informa o nome do teólogo das citações.

Deixe um comentário »