A TV Globo ficou boazinha?

Fernando Ortega 9 de junho de 2009 7

globoFui surpreendido, assistindo à TV Globo nos Estados Unidos (onde ela localmente proíbe publicidade de igrejas), com a série “Os Evangélicos” e a divulgação de ministérios sociais da Assembleia de Deus, dos presbiterianos, metodistas, adventistas, batistas e luteranos. A Globo nunca abriu espaço para as igrejas evangélicas, e a única exceção foi a transmissão da Cruzada Billy Graham Grande Rio, nos anos 70, com o Maracanã lotado pela primeira vez desde o final da Copa de 1950, por pressão do regime militar, como consta da biografia autorizada de Billy Graham, escrita por John Pollock. Naquela cruzada, o bispo Sherrill foi um dos co-presidentes e o arcebispo de Cantuária, reverendíssimo Michael Ramsey, vestido de cassoque púrpura, falou da plataforma, com os pentecostais e batistas de olhos arregalados diante de um arcebispo protestante, traduzido pelo reverendo Benjamim Moraes, da Igreja Presbiteriana.

Pois bem! Durante esses anos a Globo tem “feito a cabeça” de milhões de brasileiros, com um modelo de vida urbano-burguesa-secular, em que igreja só entra para festa de casamento, os costumes são liberalizados, as personagens de suas novelas não praticam religião e o homossexualismo é promovido. Os protestantes ou são ignorados, ou são pintados negativamente, ou aparecem como personagens que são caricaturas ridículas. Temos sido excluídos por décadas e temos testemunhado impotentes ao poder deseducativo daquela rede de comunicação, que cresceu no regime militar, foi assessorada pelo grupo Time-Life, de braços com o ministro da Comunicação Toninho Malvadeza (ACM).

E, agora, a Globo “se converteu”? Longe disso.

globo-man

Os caras são sabidos e são comerciais. No início da série o apresentador fala que somos 15% da população (mais ou menos 25 milhões de pessoas), ou seja, um imenso mercado, cujo desconforto com as posturas da empresa eles percebem.

Com Jade ela promoveu o islamismo; com Caminho das Índias, o bramanismo; e se fala em uma próxima novela que promoverá o budismo.

Lembro-me de um pastor pentecostal, meu amigo, que após a edição manipulativa da Globo do debate final entre Lula e Collor em 1989 (hoje ambos “aliados”), beneficiando, escandalosamente, este último, programou o seu aparelho de televisão para não receber o sinal da Globo, como forma de protesto e para melhor garantir a saúde espiritual e moral da sua família.

Portanto, meus irmãos, nada de comemorações apressadas, nada de ingenuidade. A TV Globo continua a mesma, e nós os evangélicos temos de desenvolver um espírito crítico diante da mídia, buscar alternativas (como a Rede Brasil e outras), cobrar, propor e, sempre que necessário, protestar, pois, afinal, somos ou não somos protestantes?…

Capturado no blog Descanço da Alma
Q por sua vez pegou da Editora Ultimato



7 Comentários »

  1. Thiago Azevedo 10 de junho de 2009 às 17:16 - Reply

    Valeu Fernando,

    Muito bom esse texto.

  2. Filipe 14 de junho de 2009 às 16:19 - Reply

    A Globo boazinha é ótimo!
    De fato como nos adverte a Palavra devemos vigiar pois os dias são maus.
    Abraço!!!

  3. Amanda Frois 29 de novembro de 2009 às 17:08 - Reply

    a Palavra diz que muitos falsos profetas se levantariam :S

    mas tbm diz que devemos vigiar e é isso que procuro fazer!

    ja assisti muita novela, mas isso acabou na minha vida.

    eu creio que muitas coisas foram embora quando eu resolvi dizer não.

    e pretendo continuar na caminhada ;D

    abç.

  4. Andre 26 de janeiro de 2010 às 15:53 - Reply

    Eles fizeram essa matéria pra tentar dizer que nao tem nada contra os protestantes.. só contra a universal!
    Deixa a TV Genesis puxa mais audiencia do que a globo pra vc ver!!

  5. Wolff 17 de junho de 2010 às 11:39 - Reply

    Eu não acredito nem na Record, que se diz evangélica, ela copia descaradamente a Globo. Não sei se realmente isso é bom, mas que em matéria de qualidade a Globo era boa, agora já não tem a mesma condição pra isso. Acho interessante mostrar outras culturas e religiões, agora manipular a elas não concordo, todos tem o livre arbítrio nessa missão.

  6. Carolina 2 de agosto de 2010 às 13:18 - Reply

    eu curti esta série da globo, creio que assim como a Fernada Brum e a Aline Barros cantaram no faustão tudo que leve ao povo de Deus vale a pena, até pq é fácil ser crente entre os crentes o que não é fácil é ser crente em território inimigo!

    😛

    bjao

Deixe um comentário »